—————————————————- “Enquanto eu durmo aqui há monstros animais que de cinzento pardo vêm cá da carne em pesadelos ancestrais e andam por aí mostram-me os sinais do negro desengano que ao descer do pano tu trazer-me vais.