“Um velho cruza a soleira de botas longas de barbas longas de ouro o brilho do seu colar na laje fria onde quarava sua camisa e seu alforje de caçador oh meu velho e invisível Avôhai oh meu velho e[…]↓ Read the rest of this entry…